A Sociedade Portuguesa de Terapia da Fala tem o prazer de anunciar a abertura de candidaturas para a 1ª Bolsa de Investigação exclusiva para Terapeutas da Fala, associados SPTFBOLSA DE INVESTIGAÇÃO EM LINGUAGEM SPTF-PHARMIS.

A BOLSA DE INVESTIGAÇÃO EM LINGUAGEM SPTF-PHARMIS visa promover o desenvolvimento de investigação científica de matriz inter e multidisciplinar de reconhecida qualidade, na área de atuação dos Terapeutas da Fala em Linguagem e suas perturbações.

A BOLSA DE INVESTIGAÇÃO EM LINGUAGEM SPTF-PHARMIS destina-se a financiar, parcial ou totalmente, o melhor projeto de investigação científica na área de atuação dos Terapeutas da Fala em Linguagem e suas perturbações no valor de 5.000 euros (cinco mil euros) e com periodicidade anual.

Edição 2019 

A edição 2019 da Bolsa de Investigação em Linguagem SPTF-PHARMIS obedece à seguinte calendarização:

SUBMISSÃO DE CANDIDATURAS: 1 de Dezembro de 2019 a 15 de Janeiro de 2020

DIVULGAÇÃO DO(S) PREMIADOS: Abril de 2020

ATRIBUÍÇÃO DO PRÉMIO: Mês de Abril

REQUISITOS

  1. A Bolsa de Investigação em Linguagem SPTF – PHARMIS destina-se unicamente a sócios da SPTF, com quotização em dia à data da entrega da candidatura;
  2. Não obstante o disposto acima, são aceites parcerias ou colaborações com instituições, universidades e investigadores portugueses e de outras nacionalidades.
  3. Serão admitidos a concurso:
  4. projetos de trabalhos científicos;
  5. trabalhos em curso, iniciados num prazo não superior a seis meses da data de abertura do concurso.
  6. Apenas serão admitidos a concurso os trabalhos que decorram em instituições portuguesas e/ou multicêntricos que incluam uma instituição portuguesa;
  7. Os membros da Direção da SPTF à data de abertura do concurso não poderão ser investigadores principais de qualquer candidatura.

CANDIDATURA À BOLSA DE INVESTIGAÇÃO

  1. As candidaturas à Bolsa de Investigação deverão ser entregues por via postal para Avenida Elias Garcia 137, 6º andar, 1050-102 Lisboa, ao cuidado da Direção da SPTF. Deverão ser enviados 6 (seis) exemplares em papel e 1 (um) digital de todos os documentos entregues, e devem incluir os seguintes elementos:
  2. Formulário de candidatura, dispensado nesta página, devidamente preenchido, e no qual os titulares dos dados pessoais prestam o seu consentimento para a recolha e tratamento dos respetivos dados pessoais para efeitos de análise e selecção das candidaturas em conformidade com o Regulamento Geral de Proteção de Dados;
  3. Curriculum Vitae dos investigadores, que deve incluir única e obrigatoriamente:
  • Identificação: Nome, grau académico; afiliação na data do concurso; número de identificação fiscal, contacto de correio electrónico e telefone;
  • Identificador ORCID ou Scopus ou Web of Science Research ID ou Research gate;
  • Livros e/ou capítulos de livros, apenas nos últimos 5 (cinco) anos;
  • Artigos em revistas indexadas (Scopus ou Web of Science) nos últimos 5 (cinco) anos;
  • Atividades de investigação desenvolvidas nos últimos 5 (cinco) anos (e.g. comunicações orais em eventos científicos; participação em projetos de investigação; orientações de mestrado e doutoramento; revisor de publicações nacionais e/ou internacionais);
  • Prémios, bolsas e outras distinções apenas nos últimos 5 (cinco) anos.
  1. Instituições envolvidas e Instituição proponente ou envolvidas no trabalho desenvolvido;
  2. Plano financeiro do projeto;
  3. Fontes de financiamento suplementares do projeto, caso aplicável;
  4. Declarações de compromisso do Investigador Principal e da Instituição participante. O Investigador Principal deve declarar que se compromete a assumir a liderança científica do projeto e as responsabilidades decorrentes da sua boa execução incluindo a responsabilidade de devolução do valor da Bolsa em situações de incumprimento do desenvolvimento do trabalho. Deve declarar ainda que o projeto está de acordo com a Declaração de Helsínquia, na sua última revisão de Outubro de 2013, para estudos em humanos;
  5. Os trabalhos não devem exceder as 5.000 (cinco mil) palavras, podendo ser completados com imagens e anexos;
  6. Os trabalhos são aceites em língua portuguesa e inglesa, em letra tipo Arial, tamanho 12, espaço e meio, folhas numeradas, em formato eletrónico “doc” e “pdf”, sem restrições;
  7. No trabalho deve constar:
    1. Título do projeto;
    2. Índice do trabalho;
  • Equipa de investigação (investigador principal, colaboradoes e bolseiros com os respectivos CV em anexo);
  1. Identificação de todas as instituições que colaboram no projeto;
  2. Resumo, nas línguas portuguesa e inglesa, até ao máximo de 250 (duzentas e cinquenta) palavras cada;
  3. Plano de atividades de investigação e métodos;
  • Resultados preliminares e/ou expectáveis;
  • Previsão da forma de disseminação dos resultados;
  1. No caso de projeto em curso identificar as atividades científicas até à data da candidatura (e.g. recolha de dados; apresentação em eventos científicos, submissão de artigos);
  2. Parecer da Comissão de Ética ou solicitação de parecer da Comissão de Ética da SPTF;
  3. Interesse e relevância;
  • Calendarização dos trabalhos de investigação;
  • Referências bibliográficas.

 

 

APRECIAÇÃO DOS PROJETOS E TRABALHOS DE INVESTIGAÇÃO

  1. Cabe ao Júri apreciar o mérito dos projetos candidatos, mediante a ponderação dos seguintes parâmetros de avaliação:
  2. Originalidade e grau de inovação do projeto/trabalho;
  3. Exequibilidade do trabalho;
  4. Relevância, interesse e aplicabilidade espectável dos resultados de investigação;
  5. Pertinência do trabalho para o âmbito dos objetivos do concurso;
  6. Mérito científico do investigador responsável e equipa de investigação;
  7. Qualidade do instituto onde o projeto/trabalho é/foi, maioritariamente, desenvolvido;
  8. Existência de colaborações com outras instituições, universidades, ou centros de investigação, públicos ou privados, nacionais ou internacionais.
  9. O Júri aprecia os trabalhos elegíveis e encontra, entre eles, o de maior mérito para ser galardoado até 15 de abril de cada ano. O trabalho classificado em primeiro lugar, só será galardoado após aprovação de uma Comissão de Ética.

 

JÚRI

  1. As candidaturas serão avaliadas por um Júri constituído por um total de 5 (cinco) elementos, sendo presidido pelo Vice-presidente científico da SPTF ou outro elemento da Direção da SPTF nomeado para o efeito, 1 (um) elemento nomeado pela PHARMIS e 3 (três) elementos externos às 2 (duas) instituições, de reconhecida competência científica e nomeados por ambas as partes, de mútuo acordo;
  2. Ao Júri caberá decidir sobre a ordenação dos candidatos baseada em critério qualitativo e quantitativo da investigação científica a produzir ou produzida. Em situação de empate, o Presidente de júri tem voto de qualidade, sendo a sua decisão soberana;
  3. Nas propostas de candidatura em que o parecer da Comissão de Ética seja omisso, o Júri enviará o projeto ordenado em primeiro lugar à Comissão de Ética da SPTF para parecer vinculativo;
  4. Ao Júri assiste a faculdade de decidir pela não atribuição da Bolsa;
  5. As decisões do Júri são soberanas, delas não cabendo recurso.

 

CONSTITUÍÇÃO DO JÚRI

Isabel Guimarães, Vice- Presidente Científica da SPTF, Professora coordenadora, Escola Superior de Saúde do Alcoitão-SCML, Laboratório de Farmacologia Clínica e Terapêutica do Instituto de Medicina Molecular-Faculdade de Medicina-Universidade de Lisboa

António Barbosa, CEO da PHARMIS

Isabel Pavão Martins, Professora associada com agregação, Laboratório de Estudos de Linguagem, Faculdade de Medicina da Universidade de Letras

Inês Duarte, Professora catedrática aposentada, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Sónia Vieira, Investigadora associada na Universidade de Washington

 

 

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS

A divulgação dos premiados será efetuada através do site da SPTF e das suas redes sociais durante o mês de abril.

 

 

ENTREGA DA BOLSA

  1. A entrega da Bolsa de Investigação em Linguagem SPTF – PHARMIS terá lugar em cerimónia pública, sob a presidência do Presidente da SPTF e de um representante da PHARMIS.
  2. A entrega do valor atribuído será efetuada através de transferência bancária, até uma semana após a entrega da Bolsa de Investigação.

 

 

DIVULGAÇÃO DO PROJETO DE INVESTIGAÇÃO

O projeto ao qual for atribuída a Bolsa de Investigação terá o seu resumo disponível no site da SPTF.

 

 

REFERÊNCIAÇÃO DA BOLSA

O(s) beneficiário(s) da Bolsa de Investigação em Linguagem SPTF – PHARMIS compromete(m)-se em todas as apresentações públicas e publicações dos resultados obtidos no projecto financiado, a fazer referência ao apoio concedido através da Bolsa de Investigação em Linguagem SPTF – PHARMIS.

 

 

TORNE-SE MEMBRO

Participe ativamente na evolução científica da terapia da fala!

SAIBA MAIS
INSCRIÇÃO