História

..........

 

 

SOCIEDADE PORTUGUESA DE TERAPIA DA FALA: UM ANO DE UMA HISTÓRIA EM CONSTRUÇÃO…

A Sociedade Portuguesa de Terapia da Fala (SPTF) surgiu da vontade de um grupo de Terapeutas da Fala, Membros Fundadores, que reconhecendo o presente e valorizando o passado, perspectivaram a necessidade de uma afirmação futura: reforçar a Terapia da Fala enquanto área científica! Para tal, tornava-se fundamental congregar profissionais com interesse e motivação no desenvolvimento de actividades de cariz científico relacionadas com a Terapia da Fala.

 

Ao longo dos 50 anos de existência da Terapia da Fala, em Portugal, cada terapeuta da fala tem tido a sua quota-parte de contribuição para o saber nesta área, mas independentemente desse contributo individual, essencial, era importante fazê-lo de forma conjunta, organizada e participada com os nossos parceiros e áreas relacionadas. Sabemos que a Terapia da Fala é um campo do conhecimento delimitável, de muitas fronteiras ténues e esboçadas com muitas outras áreas do saber, elas próprias vastas e de carácter eminentemente interdisciplinar. Só um acreditar conjunto, envolta de provas científicas, nos permitirá um reconhecimento e valorização enquanto grupo profissional.

 

A Terapia da Fala foi assim pioneira na criação de uma Sociedade Científica na área das Tecnologias da Saúde. Inovar, empreender, crescer de forma sustentada e cooperativa são algumas das motivações desta Sociedade.

 

Neste sentido, a 8 de janeiro de 2014, foi realizada a Escritura da SPTF, em Lisboa, pelos seus Membros Fundadores: Adriano Rockland, António Vieira, Brito Largo, Gonçalo Leal, Inês Lopes, Inês Tello Rodrigues, Isabel Monteiro da Costa, Isabel Guimarães, João Batista, Maria Assunção Matos, Maria Dulce Tavares, Maria João Azevedo, Patrícia Nogueira, Ricardo Santos, Rita Carneiro, Sandra Martins e Sara Palma Brito.

 

A Assembleia Constituinte ocorreu, igualmente, a 8 de janeiro de 2014, no Auditório da Fundação D. Pedro IV (sede da SPTF), onde foram aprovados os seus estatutos sociais e eleitos os primeiros Órgãos Sociais da Sociedade Portuguesa de Terapia da Fala (http://sptf.org.pt/%C3%B3rg%C3%A3os-sociais.html).

 

A estrutura inicial foi pensada com duas linhas orientadoras principais: uma vertente de cariz executivo e outra de cariz científico, que funcionariam de forma complementar e interdependente com a autonomia desejável e necessária para a prossecução dos seus objectivos estatutários.

 

A SPTF apresenta diferentes unidades estruturais. Uma composta por Departamentos Científicos em diferentes áreas de estudo da Terapia da Fala: Articulação e Fala, Audição, Disfagia, Fluência, Linguagem, Motricidade Orofacial e Voz. Cada Departamento Científico tem um Coordenador, um Vice-Coordenador e três Membros. Outra unidade estrutural da SPTF é a Comissão de Investigação e Desenvolvimento.

 

 

Para tal, na prossecução dos seus objectivos compete à Sociedade Portuguesa de Terapia da Fala:

 

a)     Reunir profissionais com interesse científico na área da Terapia da Fala, com o objetivo de promover e

desenvolver atividades de cariz científico em diferentes domínios da Terapia da Fala;

 

b)     Estimular, promover, desenvolver e divulgar atividades de investigação científica, formação e informação,

através da realização de palestras, simpósios, conferências, cursos de aperfeiçoamento e capacitação, presenciais

ou à distância, reuniões científicas, encontros, congressos, campanhas e outros eventos científicos, bem como

publicações e edição de livros, revistas e jornais científicos;

 

c)      Colaborar com outras associações e instituições nacionais e internacionais, promovendo a cooperação em

atividades relacionadas com os objetivos estatutários;

 

d)     Prover a captação de recursos financeiros para a concretização das suas ações;

 

e)     Selecionar e contratar pessoas, singulares e coletivas, de modo a assegurar o adequado funcionamento

que o âmbito dos seus fins exige.

 

 

No primeiro ano de actividade a SPTF procurou criar as condições de organização e de trabalho que permitissem a execução do seu plano de actividades. Destacam-se algumas actividades executadas e outras ainda em execução nesta gestão:

 

a)      Fomentar o estabelecimento de parcerias e protocolos com Sociedades Científicas afins, Centros de

Investigação, Unidades de Ensino e Saúde nacionais e internacionais, de forma a divulgar a SPTF, respetivo âmbito

e objeto, assim como promover o trabalho com finalidades comuns.

 

b)     Participar em Eventos Científicos de Sociedades Científicas afins à área da Terapia da Fala.

 

c)     Propor atividades de investigação participadas por diferentes sociedades científicas, em temáticas partilhadas

por diferentes áreas do saber.

 

d)     Estimular a publicação de artigos científicos nas revistas e jornais científicos das sociedades protocoladas,

numa base de troca partilhada e participada de um conjunto de saberes comuns.

 

 

Um ponto fundamental e uma aposta neste primeiro ano foi a divulgação de actividades nacionais e internacionais de cariz científico no âmbito da Terapia da Fala, algo em que era notória uma carência por parte das estruturas e organizações já existentes. O principal intuito foi o de informar e estimular a participação dos Terapeutas da Fala nestes eventos e, assim, promover a divulgação das actividades científicas desenvolvidas.

 

A divulgação de Bolsas de Investigação foi e será também uma preocupação da SPTF, de forma a possibilitar o acesso a informação que permita o desenvolvimento de actividades de investigação na área da Terapia da Fala. Está prevista a criação de um prémio pela SPTF – ‘Prémio Investigador SPTF’ – a atribuir no primeiro Congresso da SPTF, assim como o desejo futuro da criação de uma ‘Bolsa de Investigação SPTF’.

 

Nos próximos anos de gestão, estão previstas a realização de diferentes Reuniões Científicas a serem dinamizadas pelos Departamentos Científicos da SPTF, de acordo com as temáticas consideradas pelos próprios e de acordo com um cronograma a ser definido para o efeito. O formato destes eventos poderá assumir diferentes modelos de onde se referem:

 

i.     Mesa Redonda com temáticas que promovam a participação de profissionais de diferentes áreas

científicas a debater temas e questões transversais;

 

ii.     Tertúlias Científicas da SPTF: criar um espaço informal de encontro, discussão e atualização científica entre

os associados e outros interessados pela Terapia da Fala, para discussão de temas atuais para a Terapia da Fala;

 

iii.     Formação contínua de curta duração, com elevado cariz de inovação e pertinência para a Terapia da Fala

quer pelos temas propostos, quer pelos oradores convidados para o efeito;

 

iv.     Seminários sobre temáticas específicas afins a um ou vários Departamentos Científicos da Sociedade

Portuguesa de Terapia da Fala.

 

 

Para além do referido, será realizado o ‘I Congresso Internacional da SPTF’, previsto para maio de 2016, com uma dinâmica inovadora, multidisciplinar, com diferentes formatos de apresentação e discussão, de forma a promover uma discussão construtiva de uma realidade que se pretende participada e cooperativa. Será publicado o respectivo Livro de Atas. No Congresso serão atribuídos os primeiros ‘Prémios de Mérito Científico da SPTF’, num processo de nomeação e votação conduzido pela Comissão de Investigação e Desenvolvimento da SPTF, de acordo com o que se encontra previsto nos nosso Estatutos.

 

Em Setembro de 2014 foi editada a primeira Newsletter da SPTF onde foram partilhadas algumas das acções desenvolvidas até então. A Newsletter pode ser consultada em: http://sptf.org.pt/not%C3%ADcias.html.

 

A SPTF tudo fará para manter uma estreita colaboração com Sociedades e Associações afins, na procura de sinergias que possibilitem o desenvolvimento da Terapia da Fala e o desenvolvimento científico nas suas áreas de estudo. São já diversas as parcerias efectuadas, mas a nossa vontade é  de continuar a fomentar a criação de possibilidades de trabalho de forma conjunta e partilhada por organizações de interesse comum.

 

É com este espírito de crescimento, solidificação, divulgação e inovação da disciplina científica da Terapia da Fala que a Sociedade Portuguesa de Terapia da Fala conta com a sua participação para que os objetivos a que a SPTF se propõe sejam atingidos com sucesso. Para nós será estratégico a abertura e a criação de possibilidade de participação ativa a todos aqueles que se identifiquem com os nossos objectivos e queiram dar o seu contributo. Acreditamos que o tempo mostrará que estamos no rumo certo, aquele que a Terapia da Fala necessita, merece e alcançará.

 

Contem com o nosso sentido de compromisso, dedicação, responsabilidade e inovação.

Por uma Terapia da Fala em/com evidência! Por todos, com todos e para todos!

 

 

Direção da Sociedade Portuguesa de Terapia da Fala | 8 de janeiro de 2015

 

 

Comissão Fundadora

 

Adriano Rockland Siqueira Campos

 

António Manuel da Costa Vieira

 

Brito Manuel Marques Largo

 

Gonçalo de Oliveira Franco Leal

 

Inês Isabel Sousa Lopes

 

Inês Tello Rato Milheiras Rodrigues

 

Isabel Maria Monteiro da Costa

 

Isabel Cristina Ramos Peixoto Guimarães

 

João Carlos Torgal Batista

 

Maria Assunção Coelho de Matos

 

Maria Dulce Henriques Tavares

 

Maria João Dias de Oliveira Azevedo

 

Patrícia Machado Nogueira Pinto

 

Ricardo Jorge Ferreira dos Santos

 

Rita Palmira Nunes Carneiro

 

Sandra Isabel de Sousa Martins

 

Sara Lisa Catita Palma Brito

 

Fale connosco

Siga-nos

 

Submitting Form...

The server encountered an error.

Form received.

Sociedade Científica que visa desenvolver e promover atividades de investigação em Terapia da Fala.

© 2014 SPTF - Sociedade Portuguesa de Terapia da Fala